A coisa ali está preta

Moçambique acordou ontem com um outdoor que se veio a revelar um desastre de Public Relations.

Organizações feministas, mas não só, revoltaram-se contra a imagem e o slogan que consideram insultuoso para a dignidade humana.

A utilização do corpo da mulher é assunto eternamente polémico e continuamente popular, porque está provado que vende (não só aos homens, mas também às mulheres).

Contudo, no mundo ocidental, a imagem feminina na publicidade tende cada vez mais a ser associada a mulheres livres, activas, com personalidade.

Não acredito que a SABMiller, uma das maiores cervejeiras mundiais, ousasse produzir um anúncio semelhante ao da Laurentina num país fora de África. E também não creio que tenha ponderado que África já não é um colonato do ocidente e que os stakeholders de uma multinacional já não são apenas a pequena elite de governantes.

publicado por Alda Telles às 13:07 | link deste post | comentar