Bob Lutz, um desbocado?

GM's Bob Lutz tells all in 'Car Guys vs. Bean Counters'

Quem deve gerir uma empresa? Aqueles que sabem do produto que origina a facturação da empresa, ou aqueles que contam os feijões? A discussão é antiga mas é o tema central de um livro de Robert Lutz, « Car guys vs bean counters - the battle for the soul of american business». Lutz foi vice-presidente da General Motors, da Ford, da BMW e da Chrysler e esteve 47 anos na indústria automóvel, sempre com bons resultados.

 

No livro defende a tese de que os contadores de feijões, oriundos dos MBA’s (sim, chama os bois pelos nomes…), estão apenas focados nos resultados de curto prazo, em vez de se preocuparem com o produto e os consumidores – e que a corrida à obtenção de resultados trimestrais está a destruir o tecido produtivo sem criar nada de valor.

 

Lutz aponta Sillicon Valley como um local onde se criam empregos, se aumenta a produtividade e riqueza, exactamente porque o foco está na criação da relação entre os produtos desenvolvidos e os consumidores. E cita, a propósito, o caso da Apple, que há uns anos atrás ía sendo levada ao tapete quando foi gerida essencialmente por MBA’s e que foi salva com base na criação de novos produtos e na relação com os consumidores, os sagrados mandamentos de Steve Jobs. O livro pode ser polémico, mas nestes tempos em que toda a gente se queixa da falta de crescimento económico, tem a vantagem de voltar a colocar na ordem do dia a velha questão de saber quem pode melhor desenvolver o negócio.

 

(excerto de A Esquina do Rio)



publicado por falcao às 18:44 | link deste post | comentar