A nova medida do interesse jornalístico

 

 

 

Estrela Serrano, que está a substituir uma antipática missão na ERC por um simpático desempenho como blogger, escreveu aqui um texto subtil sobre o anúncio feito por um ex-presidente da JSD de que se vai casar com outra pessoa do mesmo género.

 

Embora não tenha muita experiência neste tipo de problemática nem tenho estudado o assunto em profundidade :), gostaria de acrescentar um dado a ter em conta – não em relação à escolha do parceiro matrimonial mas quanto ao critério jornalístico.

 

Com o caos comunicacional, a sobreposição de mensagens e a luta desesperada pela relevância, os media passaram a contar com um novo factor para a avaliação do interesse jornalístico de determinado conteúdo: o factor propagação.

 

E a verdade é que, tendo jantado na noite dessas notícias numa de amigos em que estavam presentes dirigentes do PS e do PSD, de pelo menos dois sexos, acabámos por ocupar cerca de 1/3 do nosso encontro a falar deste tema que, horas antes, nos tinha sido proposto pelos media.

 

Qual Egipto (Egito?), qual conselho nacional, qual presidência do Sporting. O que puxava pela conversa era o tema sintetizado no título que encabeça o post de Estrela Serrano (escrito às avessas): é do PSD o primeiro político a casar-se no mesmo género.

publicado por lpm às 19:10 | link deste post | comentar