A marca Solis

 

Brian Solis esteve pela primeira vez em Lisboa como orador no Upload Pro. Reconhecido como um dos mais importantes gurus dos New Media e líder de uma consultora em estratégia de Silicon Valley, Solis é ele próprio uma marca da web social:

 

- Tem um profícuo blog, com posts replicados milhares de vezes no Twitter e no Facebook

- Tem um canal no YouTube, a Brian Solis TV

- Tem apps para iphone e android que permitem descarregar o seu mais recente livro, "Engage"

- Tem uma página no Facebook com mais de 10 mil amigos e um perfil no Twitter com cerca de 75 mil seguidores.

 

Com uma actividade impressionante, entre palestras e consultoria, produz conteúdos novos todas as semanas, entre análises, estudos, entrevistas e filmes. E foi claro no seu posicionamento: os consultores de New Media competem com os consultores de gestão: "I'm competing with McKinsey".

 

A palestra em Lisboa, que tive o privilégio de moderar, foi um "overview" do seu livro, que aborda as regras do Engagement como factor de sucesso na socialização das marcas. Os seus temas chave são a convergência dos media e a influência, tema tão caro às Relações Públicas. Um conceito em permanente evolução à medida que a revolução nos media sociais prossegue. Um autor fundamental.

 

(Foto de João M Nogueira)

 

 

O Brian por trás do Solis

 

Brian Solis, contrariamente às minhas expectativas, não tem tiques de vedeta. Pelo contrário, exibe uma quase modéstia, chegando a confessar a angústia inevitável antes de cada performance pública.

No seu segundo dia em Lisboa, já era admirador do nosso "vino tinto" e comeu sushi alentejano (makis de bacalhau com grelos e sashimi de farinheira, qualquer coisa por aí) como se nunca tivesse comido outra coisa.

Cordato e conversador, é contudo cioso do seu tempo: definiu 20 minutos para o almoço, tinha de ir escrever um post a seguir. Na realidade, deixou-se contagiar pelo espírito luso e acabou por ficar uns bons 45 minutos à mesa.

Ao falarmos dos "amigos" que fazemos por esse mundo fora através das redes sociais, Brian diz que acredita no poder da web social para mudar, a prazo, a política internacional. As pessoas deixam de encarar as outras nações como lugares distantes, antes são lugares onde vivem pessoas com quem conversamos todos os dias. Isto deve ser especialmente relevante para um americano.

Alda Telles às 09:00 | link deste post | comentar | favorito